Manutenção de janelas

Humidade em casa: Como evitar que apareça

min de leitura

A humidade é um problema que começa a surgir principalmente durante o tempo frio.

Deve-se ter muito cuidado com a humidade, que se manifesta com alguns pontos pretos ou esverdeados nas paredes, azulejos e cortinas do chuveiro. O ideal é removê-los sempre que os encontrar, para impedir a proliferação do mofo pela casa.

De facto, quando a humidade é muito intensa, pode senti-la até mesmo pelo cheiro da casa.

Malefícios causados pela humidade:

  • Problemas respiratórios: o mofo é classificado como fungo, um organismo vivo que produz pequenos esporos. Eles espalham-se pelo ar e, mesmo que não os veja, alcançam os pulmões e podem causar problemas respiratórios, especialmente naquelas pessoas que já têm algum distúrbio ou sofrem de asma.
  • Reações alérgicas: algumas pessoas são alérgicas a esses esporos e sentem comichão nos olhos (como uma areia), lacrimejamento constante, congestão nasal, etc.
  • Dores de cabeça: uma pesquisa publicada na revista Headache mostrou que os sintomas de enxaquecas ou dores de cabeça crónicas por tensão tendem a piorar em ambientes excessivamente húmidos.
  • Outras dores: verificou-se que existe uma relação direta entre a vida em ambientes húmidos e a piora nos sintomas de doenças reumáticas, como artrite ou osteoartrite, especialmente no caso de sofrer algum grau de fraqueza óssea (osteopenia ou osteoporose).

Por que a humidade aparece?

A humidade cria o terreno fértil para a proliferação de mofo, cujos esporos geralmente são suspensos no ar e podem ser depositados em tecidos, papel, madeira, gesso ou outras superfícies.

De facto, estudos científicos provam que, se a humidade ambiental for de 80%, já é possível que os fungos proliferem-se rapidamente. Por segurança, mantenha a humidade do seu lar abaixo de 50% para evitar mofo!

Os três tipos mais comuns de fungos

  • Alternaria: tem uma aparência preta ou cinzenta. Pode causar reações alérgicas e ataques de asma. Se tiver um sistema imunitário debilitado, pode representar grande perigo para si;
  • Cladosporium: a sua cor varia entre o verde azeitona e o castanho, embora também possa ser preto. Pode ser responsável por infeções de pele, sinusite ou doenças pulmonares;
  • Aspegillus: a sua cor é preta e, em grandes quantidades, pode causar febre, dor no peito, tosse, infeções no ouvido externo ou lesões na pele.

Como evitar a humidade?

  1. Abra as janelas da casa e deixe o ar circular diariamente. No verão, pode fazê-lo pela manhã e, no inverno, durante as horas mais soalheiras. Lembre-se de ventilar sobretudo as casas de banho, a cozinha e o interior em que seca as suas roupas. Em espaços húmidos e sem janelas, pode usar um desumidificador.
  2. Seque o chão e as paredes após a limpeza. Após lavar o ambiente, termine sempre com um pano seco que remova a humidade das superfícies, evitando desse modo a condensação de água no ambiente.
  3. Cuidado com os aparelhos. Preste especial atenção às máquinas de lavar roupa e loiça e às máquinas de café, onde os fungos podem proliferar-se caso a manutenção não seja realizada adequadamente.  

O que fazer se já há humidade?

  1. Limpe imediatamente, pois o fungo pode proliferar-se rapidamente. Se houver uma inundação, limpe com água e sabão e seque rapidamente tudo o que estiver em contacto com a água (tapetes, cortinas etc.);
  2. Desinfete o ambiente com uma diluição de cloro, na proporção de um copo por 4 litros de água. Para isso, proteja-se com roupas adequadas, luvas e máscara. Limpe a superfície com uma escova de cerdas duras, depois lave com água e seque rapidamente com um secador. Faça isso com a casa bem ventilada. Também pode usar peróxido de hidrogénio e vinagre (mas não os misture).

Livre-se do mofo e da humidade com essas dicas simples da D&S Caixilharia!